As crianças, o verão e as doenças

 As mudanças de clima influenciam significativamente no funcionamento do corpo humano. E muitas vezes está ligada a doenças que podem aparecer mais em determinadas condições climáticas, que são propícias para infecções.

 Durante o verão, é comum o surgimento de doenças infecciosas que provoquem vários episódios diarreicos, principalmente em crianças. As doenças diarreicas infecciosas agudas, estão entre os principais problemas a afetar crianças menores de cinco anos durante o verão.  Independentemente do que está causando o problema, a diarreia pode alterar a função intestinal e gerar consequências à saúde global e nutricional das crianças, sendo responsável por cerca de 20% de todas as mortes em crianças menores de cinco anos.

  A proliferação e sobrevivência de parasitas causadores dessas doenças no ambiente externo, são favorecidas pelas características do ambiente neste período, como a abundante quantidade de hospedeiros não humanos, a temperatura e umidade elevadas e a ausência de exposição à luz solar, podem favorecer a transmissão desses organismos causadores de doenças, por via fecal ou oral.

 Conforme a Especialista em Gastroenterologia Pediátrica, Maria Eugênia F. A. Motta: “Pode-se observar que a contaminação da água e dos alimentos por bactérias e suas toxinas e vírus, como o norovírus, funciona como veículo de disseminação e contribui para a elevada incidência de diarreia bacteriana e viral durante o verão; enquanto o tempo mais quente e úmido nessa estação facilita a disseminação e ocorrência de diarreia viral, especialmente por rotavírus.”

 O estilo de vida adotado no verão, como maior consumo de água, contato prolongado à água da piscina e outras atividades ao ar livre facilitam esta contaminação. Assim, é importante ter muita atenção à higiene, mantendo o compromisso com atitudes básicas como lavar as mãos antes das refeições e após ir ao banheiro, uso do sanitário, etc. A sobrecarga do sistema de água e esgoto, devido ao aumento populacional, deixam o saneamento e a higiene ambiental prejudicados. O limitado acesso à água potável de qualidade e os alimentos pouco higienizados ou mal acondicionados, muitas vezes ficando fora da geladeira ou expostas ao sol, também trazem riscos significantes. Outro fator para nos deixar em alerta neste período, é a Dengue.

 

Maria Eugênia F. A. Motta

(47) 3222-3344 Seg. à Sex. das 07hs às 18:30hs
Sábado somente com horário marcado
Entrega de resultado: Seg. à Sex das 08hs às 18hs
Sobreaviso 24 horas - (47) 3036-6000
LocalizaçãoClique e veja no mapa