Intoxicação alimentar, em casos graves, pode levar à morte

por Chirley Santana

Comer é bom demais. Hummm... chegamos até a salivar só em pensar nas guloseimas que adoramos ou ao vermos aquele bolo irresistível no balcão da padaria. É não é por menos, são tantas as opções disponíveis que às vezes o difícil é saber o que gostamos mais.

Salgados, doces... preferências à parte, o importante é ter atenção aos locais em que comemos, a procedência dos alimentos e ficar de olhos bem atentos para a higienização do local. Na dúvida, peça para visitar a cozinha. Todo cuidado é importante para evitar uma possível intoxicação alimentar.

Quem já passou por um episódio de mal-estar causado pela ingestão de alimentos contaminados deve saber muito bem do que se trata. Pode parecer simples, mas requer atenção, porque em casos graves, a intoxicação é capaz de provocar a morte. "Indisposição acompanhada de vômitos, dores de estômago e diarreia após a ingestão de alimentos, pode ter como causa a contaminação por certas bactérias nocivas. Por isso, consultar um médico gastroenterologista é primordial para diagnóstico adequado", relata Dr. Luiz Renato Faoro, um dos médicos gastroenterologista da Digest.

A intoxicação alimentar, geralmente, é provocada por três tipos de bactérias. Mas a mais comum, que ocorre na estação mais quente do ano, o verão, é a salmonela. Ela surge nos alimentos crus ou que não foram totalmente cozidos, provocando na maioria dos casos diarreia ou um ligeiro desarranjo intestinal. "O sintoma de contaminação por samonela costuma surgir 12h ou 48h após a ingestão do alimento contaminado. Entretanto, a gravidade do sintoma varia de pessoa para pessoa e conforme a quantidade de alimento ingerido", alerta Dr. Faoro.

Para saber mais sobre intoxicação alimentar acesse o site saudevidaonline.com.br .

(47) 3222-3344 Seg. à Sex. das 07hs às 18hs
Sábado somente com horário marcado
Entrega de resultado: Seg. à Sex das 08hs às 18hs
Sobreaviso 24 horas - (47) 3036-6000
LocalizaçãoClique e veja no mapa