SAÚDE E BEM ESTAR - Uso constante do ar-condicionado - Conheça as consequências para a saúde

Como manter o ambiente refrescante e ao mesmo tempo livre de problemas para a sua saúde.

Já adiantamos que o ar-condicionado, em si, não é um vilão para o corpo e saúde. Com certeza ele é um grande aliado na hora de se refrescar.
“O problema é que, para diminuir a temperatura, ele suga o ar do ambiente e retira umidade. E a umidade baixa causa uma série de incômodos”, explica o pneumologista Ubiratan de Paula Santos, do Instituto do Coração, em São Paulo. “O ideal é, ao ligar o aparelho, aumentar a oferta de água no cômodo, o que não acontece na maioria das vezes”, completa. Com o ar seco, as vias aéreas ficam prejudicadas e irritadas. Para ficar confortável, a umidade do ar deve permanecer entre 50 e 60%.

Outra questão é a limpeza regular do filtro, que acumula partículas de poluentes, além de fungos e bactérias. “Com o tempo, a qualidade do ar interno chega a ficar pior do que a da rua”, alerta Santos.

Quem é alérgico pode ter problemas relacionados. “Os alérgicos apresentam uma sensibilidade maior no nariz e nos brônquios mesmo quando a mudança não é tão brusca. Soma-se isso à baixa umidade e os ataques aparecem”, expõe Tebyriçá - presidente da Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia.

Já, durante a noite... “Se ele funciona durante várias horas, a recomendação é não deixar a temperatura muito baixa para que as mucosas não ressequem ainda mais”, orienta o alergologista Gustavo Graudenz, da Universidade Nove de Julho, na capital paulista. Uma estratégia eficaz é umedecer o nariz com soro fisiológico antes de se deitar e deixar um copo d’água por perto para tomar durante a noite.

Na hora da escolha do seu ar-condicionado... Observe a quantidade de BTU/h do equipamento. “Essa unidade de medida representa a quantidade de troca de calor realizada pelo aparelho no intervalo de uma hora”, explica Renata Leão, gerente da Engenharia de Serviços da Whirpool Latin America, fabricante das marcas Brastemp e Consul. Quanto maiores os BTUs, maior a potência do condicionador de ar. Mas é preciso ajustar essa força de acordo com o tamanho do local e o número de pessoas que circulam por lá.

Ar-condicionado no carro... Precisa ser trocado, em média, a cada 6 meses, no caso de você morar em cidades grandes. Se não, o período pode ser de até um ano.

Tome esses devidos cuidados e mantenha sua saúde e bem estar em dia.

(47) 3222-3344 Seg. à Sex. das 07hs às 18:30hs
Sábado somente com horário marcado
Entrega de resultado: Seg. à Sex das 08hs às 18hs
Sobreaviso 24 horas - (47) 3036-6000
LocalizaçãoClique e veja no mapa