Setembro Verde e o diagnóstico do Câncer Colorretal

Este câncer está entre os mais frequentes no Brasil e no mundo, sendo o terceiro mais comum em homens e o segundo mais comum em mulheres. E, por estar associado a hábitos de vida que não são saudáveis, está cada vez mais aparecendo no diagnóstico de jovens também.

Vale a pena ficar ligado em como isso acontece para poder se prevenir. Acompanhe:

Setembro Verde é o mês que é utilizado para promover a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de intestino, pois esta é uma das doenças que mais causam morte no mundo. Precisamos falar sobre esse assunto pois ele não é muito abordado, e quando não há informação de fácil acesso para a população, não há prevenção.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), por ano, acontecem 596 mil novos casos de câncer colorretal, sendo que 190 mil são levados a óbito. Só na nossa região sul (Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul) acontecem 34.280 casos por ano. Para os jovens nascidos nos anos 90, dobra-se o risco de câncer no cólon e quadriplica-se o risco de tumores no reto, se compararmos com pessoas nascidas nos anos 50.

Esse câncer pode ser evitado em 90% dos casos. Então, como ele acontece?

Alguns dos fatores de risco são: o consumo elevado de carnes vermelhas e processadas, pouca ingestão de frutas, legumes e verduras, pessoas com obesidade, sedentárias, que consomem excessivamente bebidas alcoólicas, com tabagismo, com histórico familiar e que têm acima de 50 anos.

Quase sempre, essa doença surge como um pólipo (lesão normalmente benigna) que cresce na parede do intestino e que pode se tornar um câncer caso não seja diagnosticado e retirado em tempo. Retirando o pólipo, podemos agir de forma precoce para prevenir o câncer. 

Em uma quantidade absurda de casos isso não acontece pois as pessoas não ficam atentas ou não conhecem os fatores de risco e acabam por não trabalhar na prevenção. Além disso, isso também ocorre pois esse câncer só costuma apresentar sintomas em estágios mais avançados.

Quando finalmente aparecem, esses sintomas podem ser: mudança repentina e persistente dos hábitos intestinais, como diarreia, constipação e fezes com sangue e escuras, além de dor abdominal, anemia, fraqueza e perda de peso.

O diagnóstico pode ser feito através da pesquisa de sangue oculto nas fezes e a colonoscopia. A pesquisa pode detectar pequenas quantidades de sangue difíceis de se ver a olho nu, mas esse teste, entretanto, pode não ser o mais adequado para você se você se enquadra em alguns dos fatores de risco, pois ele não aponta a causa do problema, nem o local exato do sangramento. Já a colonoscopia, pode encontrar os pólipos e já removê-los durante o exame. Ela é realizada pela introdução de um tubo flexível acoplado a uma câmera para examinar o intestino por dentro.

Então, como posso me prevenir?

É bem simples, porém exige comprometimento: mudar seu estilo de vida para adotar hábitos mais saudáveis deve ser seu mote principal. Baseado nisso, você pode ingerir fibras diariamente (de 25 a 30g), cereais integrais, bastante frutas e verduras, peixe duas ou três vezes por semana, se hidratar muito (tomar água é MUITO importante), evitar alimentos gordurosos, carne vermelha e embutidos, deixar de fumar e evitar a ingestão de álcool, além de praticar exercícios físicos regularmente.

(47) 3222-3344 Seg. à Sex. das 07hs às 18:30hs
Sábado somente com horário marcado
Entrega de resultado: Seg. à Sex das 08hs às 18hs
Sobreaviso 24 horas - (47) 3036-6000
LocalizaçãoClique e veja no mapa